Poesias variadas – Dia dos Animais

01 Jan de 2007

Oi Gente!!! Dia 04 de outubro é Dia dos Animais e aí vão algumas poesias pra voceês…

Os Animais e Você
As abelhas fazem o mel,
Os besouros fazem seu papel,
A cigarra está sempre a cantar,
E a aranha é mestre no tear…

Mas você o que faz?
Mas você o que faz?

Vagalumes a iluminar…
Gafanhotos a nos encatar…
E a fromiga sempre a trabalhar.

O sapinho a coaxar,
A minhoca, no buraquinho a pensar…
As borboletas vive a voar,
E a joaninha na folhinha a enfeitar.

Mas você o que faz?
E você o que faz?
Deixe nossos jardim em paz!

Mundo animal
No reino animal é tudo muito engraçado,
Há elefante com medo de rato,
Há rato que corre de gato,
Há gato que corre de cachorro
Há a girafa que tem um pescoço comprido,
Será que ela tem dor de ouvido?
E o macaco que pula de galho em galho
Será que algum dia ele cai no meu telhado?
E o rinoceronte, será que tem dor de dente?
E o sapo, será que gosta de bater papo?
E o jacaré, será que ele tem chulé?
E a ema, será que ela tem algum problema?
E o tigre de bengala, será que ele gosta de bala?
É por isso que gosto de todos os animais, sem excessão.
Mas o que e queria de verdade
É ter todos eles debaixo da minha proteção
Para dar carinho, água, comida e atenção!

Frances Rodrigues Pinto

Os Animais

Gato, cachorro, macaco,
Os animais precisam de amor…
Vaca, elefante, leão,
Coloque o reino animal em seu coração.

Beija-flores, bem-te-vis e andorinhas,
Não os prenda em gaiolinhas…
Precisam de liberdade para viver,
São frágeis criaturinhas.

As tartarugas, as baleias,
Os tubarões e os peixinhos,
Pedem respeito e carinho,
Através do canto das sereias.

Rosângela Trajano


O cururu

Na fazenda tem animais
E as lendas dos bichos
Lindos canaviais
Bóias-frias e cochichos.

Fui pego de surpresa
Apareceu na sala um cururu
Subi em cima da mesa
Cheio de medo e nu.

Meu grito alcançou léguas
Veio gente de todos os cantos
Assustei até as éguas
Que sorriram do meu espanto.

Rosângela Trajano

O porquinho

Vi um porquinho
Por ele me apaixonei
Pequeno rabinho
Logo o herdei.

É um porquinho engraçado
Focinho achatado
Adora ser abraçado
Não gosta de chiqueiro apertado.

Ronc, ronc, ronc…
É só ouvir meus passos
Mais alto é o ronc, ronc…
Se dou-lhe milhões de amassos.

Rosângela Trajano

Um elefante

Sonho com um elefante
Dormindo no meu quarto
Seu pé gigante
A calçar o meu sapato.

Quero um pequeno elefante
Para brincar comigo
Com pose elegante
Será sempre meu amigo.

Sentado num pequeno banco
Ficará um pouco desajeitado
Meu elefante será quase branco
E por mim, muito amado.

Rosângela Trajano

Pintinho de botas

O pintinho está aqui e acolá
Faz festa no galinheiro
Está sempre a piar
Tenta subir no poleiro.

Quer cantar como o galo
Mandar nas galinhas
Nos pés não tem calo
Só anda de botinhas.

Lá vem o pintinho
Seu piado barulhento
Acorda o resto do ninho
Mais parece um sargento.

Rosângela Trajano

O pato sabido

Começou a confusão
Esse pato teimoso
Quer viajar de avião
De paletó formoso!

De tudo diz ser dono
Comprou um lago gigante
Quando sente sono
Ordena que a ema cante.

Pato cheio de sabedoria
Se fosse gente era doutor
Só vive na livraria
Da bicharada é professor.

Rosângela Trajano

Artigos Relacionados

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*
*