Plano de Aula – Cantinhos da Creche

24 Abr de 2015
Em cenários montados na creche, os pequenos se sentem em casa e aprendem a conviver com os maiores da pré-escola… Veja no plano de aula abaixo tudo que você precisa aprender para organizar cada cantinho na sua creche, mesmo com poucos recursos.

■ OBJETIVOS
Promover a autonomia e estimular o convívio e a interação das várias faixas etárias.
■ ANOS Creche e pré-escola.
■ TEMPO ESTIMADO Livre.
■ MATERIAL NECESSÁRIO
Tecidos de várias cores e tramas (para fazer tendas e delimitar os  espaços); garrafas PET de 600 mililitros com diferentes quantidades de água – para produzir sons variados – e lantejoulas gigantes, penduradas acima da cabeça das crianças, mas ao alcance das mãos; móbiles coloridos presos por elásticos roliços para serem puxados; cortinas de fitas coloridas de cetim e objetos sonoros (canto dos sons e das cores); tapete, almofadas, poltroninhas e estantes baixas com bastante variedade de livros que tenham muitas figuras (canto da leitura); um espelho grande ou vários pequenos, colados na parede (canto do espelho); mobiliário infantil de cozinha, sala, quarto e lavanderia (cantos da casinha); arara com fantasias, sapatos, bijuterias,  chapéus, adereços de vários tipos e um espelho (canto da fantasia); caixas, tubos de papelão, papéis, latas, garrafas PET, potes, cubos, bancos e outros objetos que possam ser empilhados (canto de montar); pincéis grandes e largos, tinta, massinha, giz gigante, argila, folhas
grandes de papel e cartolinas inteiras (canto das artes).
■ ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO
Delimite os cenários com divisórias baixas ou materiais que facilitem o trânsito entre elas (persianas de madeira, compensados que tenham um buraco pelos quais as crianças possam passar, cortinas de fitas coloridas ou tecidos). O ideal é ter no máximo 12 crianças por ambiente. 
■ DESENVOLVIMENTO
1ª ETAPA
Os funcionários devem estar preparados para esse esquema de trabalho. Por isso, é importante que o coordenador pedagógico, o diretor ou um professor marquem uma reunião para explicar à equipe que o
objetivo desse tipo de organização é estimular a circulação e o exercício da autonomia e do poder de escolha.
2ª ETAPA
Deixe que todos explorem os espaços livremente, durante o tempo que durar o interesse pela brincadeira. Porém, em alguns momentos, é possível eleger algumas intenções pedagógicas para serem trabalhadas em determinados ambientes. Confira aqui algumas sugestões. 
■ Canto das cores e sons – Conhecer texturas, formas e sons: estimule-os a tocar os instrumentos, a tirar sons das garrafas e a reconhecer as cores, chamando a atenção para a variedade de tons que existe.
■ Canto da cozinha – Aguçar o paladar: leve alimentos prontos, como pão, gelatina e bolo, para serem degustados por quem visitar o local. Se o espaço permitir, prepare com a turma lanches ou sobremesas fáceis de fazer, como um sanduíche ou uma salada de frutas. 
■ Canto da leitura – Interagir com outras faixas etárias: peça que os grandes leiam para os menores e, durante a atividade, mostrem as figuras que aparecem nos livros. 
Canto dos espelhos – Reconhecer-se e conhecer o próprio corpo: leve a criança para se observar, diga o nome dela e identifique as partes do corpo e suas características particulares (cor dos olhos e cabelos, por exemplo).
Canto de montar – Adquirir noções de tamanho e de cor: mostre como empilhar caixas e blocos de diferentes cores e dimensões ou como colocar um dentro do outro. 
Canto das artes – Explorar as tonalidades: disponha uma tinta por vez para que os menores percebam
as possibilidades de trabalhar com uma só cor, pura ou mais aguada.
3ª ETAPA
Depois da organização dos móveis e dos acessórios, é hora da diversão. Divida a turma em grupos para que os ambientes sejam bem explorados. Os bebês participam observando, sempre no colo de um adulto.
Prepare-se para manter todos em atividade e deixar que a brincadeira aconteça, preocupando-se em mediar
e incentivar a interação. Não há a necessidade de falar muito ou explicar o propósito para a classe. Quando surgirem os conflitos, interfira e estimule o convívio pacífico.
■ AVALIAÇÃO
Depois de montar um cenário, pergunte a si mesmo se ele é convidativo, atraente e desafiador. Durante a atividade, observe o grau de autonomia, a capacidade de interação e a resposta de cada um aos estímulos oferecidos, percebendo os vários níveis de desenvolvimento. A partir disso, planeje outras atividades e monte novos subgrupos conforme as necessidades. 

3 Comentários

    Unknown 15 de agosto de 2015 às 12:38

    Muito bom!!!

    monicke silva 4 de abril de 2016 às 11:30

    adorei e muito obrigada por compartilhar seus conhecimentos conosco. Bom dia!

    monicke silva 4 de abril de 2016 às 11:31

    adorei e muito obrigada por compartilhar seus conhecimentos conosco. Bom dia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*
*